patagônia argentina | inverno

Frio em Bariloche

Bariloche é um lugar de paisagens inesquecíveis: com roteiros que atendem tanto a quem busca por uma viagem romântica quanto para quem procura atividades para crianças, é para quem gosta de comer bem e provar excelentes vinhos a bons preços. E, claro, é um destino incrível para quem quer praticar esportes de neve.

O que fazer em Barilhoche: 1. Dar um giro pelo centro: longe de ser imperdível (confissão: esperávamos mais charme e ficamos um bocadinho decepcionados), conhecer o centro é passeio obrigatório para quem vai à cidade pela primeira vez. Uma tarde é o suficiente para circular por aqui, onde ficam os principais serviço da cidade como casas de câmbio, rodoviária e supermercados.

2. Cerro Campanario: O mais legal de subir o Campanário é a visão macro de toda a região: os vários mirantes posicionados em todas as frentes do morro permitem que o visitante se localize e, de quebra, apresentam algumas das paisagens mais coloridas e contrastantes que Bariloche oferece durante o inverno. Aqui há, também, uma cafeteria simples onde é servido aquele chocolate quente que salva a vida quando precisamos de uma pausa do intenso frio.

3. Cerro Otto: a famosa Confiteria Giratoria é o maior atrativo daqui - um restaurante em que a comida é apenas uma boa desculpa para apreciar o panorama. A trucha con papas deixou bastante a desejar (preço salgado, comida sem sal e muitas, muitas espinhas de peixe), mas em compensação tivemos a sorte de conseguir uma mesa na janela, onde pudemos apreciar um Malbec na primeira fila para a vista incrível que se renova a cada instante de seus 360 graus. Para evitar que você entre na mesma roubada gastronômica que a gente, recomendamos que você vá apenas para tomar una copa de vino con queso e apreciar a vista. Para quem está com crianças, há diversas atividades bacanas.

4. Cerro Catedral: ficamos bastante impressionados com a estrutura do Cerro Catedral. O vilarejo do entorno tem um clima leve e descontraído, com uma boa variedade de restaurantes, comércio e hospedagem. Por recomendação do taxista que nos levou do centro de Bariloche até la, tivemos a sorte de parar no Posadas Aurelio, onde encontramos comida deliciosa, aluguel de equipamentos e atendimento gentil.

As atividades nas pistas se encerram as 17h00, dando espaço para circularmos mais um pouco pelo vilarejo e descobrir os bares after ski como o Samsara Mountain, que nesse horário fica lotado de gente bonita. Uma das coisas mais bacanas do espírito de montanha é que ninguém troca de roupa para curtir o fim do dia: todos descem das pistas direto para o agito, que vai até em torno de 20h30, quando as luzes se acendem e todos vão jantar em algum outro lugar (no vídeo mostramos bem o clima mezzo balada, mezzo happy hour).

A essa hora não tem mais transporte público saindo do Catedral (nem táxi, nem ônibus, nada) e, assim, a única alternativa para quem está sem carro é chamar um táxi vindo do centro de Bariloche. Como isso leva algum tempo, voltamos ao Posadas Aurelio para jantar enquanto esperávamos.

Onde comer em Bariloche:

Diferentemente de Buenos Aires, onde se come bem em qualquer esquina, para fazer refeições felizes em Bariloche é preciso ter algumas dicas em mãos. Nossas recomendações:

1. Parrilla no centro da cidade - El Boliche de Alberto: um dos mais tradicionais restaurantes da cidade, onde comemos um ojo de bife impecável. Destaque para o chimichurri artesanal e para o vinho recomendado pelo sommelier.

2. Cerveja boa no centro da cidade - Manush: localizado no entorno de uma praça que abriga alguns hostels, o concorrido Manush é para ver gente bonita e provar cervejas excelentes – ideal para um animado happy hour com petiscos!

3. Refeição quentinha no Cerro Catedral - Posadas Aurelio: em nosso dia no cerro, almoçamos e jantamos por aqui. A comida é simples mas muito caprichada. A pizza de morrones ganhou nosso coração!

Dicas Gerais e Serviços que utilizamos: 1. Hospedagem: escolhemos um apartamento no centro pelo Airbnb e, para quem quer se hospedar no centro, super recomendamos: vista linda, a uma quadra de um supermercado e a duas quadras da Calle Mitre, que é a rua principal.
No entanto, já decidimos que em nossa próxima viagem a Bariloche ficaremos hospedados no Cerro Catedral, onde há uma vasta estrutura hoteleira (e a vila é muito mais charmosa).

2. Transporte: para evitar eventuais perrengues relacionados a dirigir na neve, decidimos usar apenas taxi durante nossa estada na cidade, inclusive para ir ao Cerro Catedral, que é bem mais afastado. Para ir, pegávamos um carro qualquer no ponto de taxi e para voltar pedíamos ajuda em algum restaurante, que prontamente providenciava algum.

Vídeo: Bariloche Vibes Em uma música, apresentamos alguns dos cenários que descrevemos para vocês aqui no post - a ideia desse formato de filme é que dê para sentir um pouco do clima do lugar.

Rafa & Marcinha  -  10 de agosto, 2017

você também poderá gostar:


Voltar
ao topo